Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 9 de março de 2011

Prós e Contras a Copa de 2014.

Nosso país receberá os melhores jogadores do mundo para o que promete ser uma Copa do Mundo tão eletrizante quanto a polêmica. O evento vai gerar empregos e obras de infraestrutura, mas também custará bilhões aos cofre públicos. Vai ser um golaço...ou uma bola fora?



Estima-se que o governo irá investir mais de 20 bilhões de reais em infraestrutura para receber a Copa de 2014. Somando os recursos diretos ou indiretos da iniciativa privada, o total deve chegar a 183 bilhões de reais. O dinheiro será distribuído em áreas como transportes, segurança e cultura, para que habitantes e turistas convivam em cidades mais confortáveis e funcionais.

Temos um histórico de obras superfaturadas. A Vila do Pan-Americano do Rio, por exemplo, foi superfatura em 1,8 milhão de reais, segundo relatório de 2009. Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol ( CBF ), já foi acusado pelo Ministério Público de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. E ele também preside o Comitê Organizador da Copa de 2014. 

O Brasil passará a ter 12 estádios modernos, equiparáveis aos melhores do mundo, com mais comodidade e segurança para torcedores. Na Alemanha, após a Copa de 2006, a frequência média nos estádios subiu para 90 % da lotação. E as arenas poderão atrair eventos como shows internacionais a estados como Mato Grosso, geralmente fora do circuito.

Ocupando a 73ª posição mundial no Índice de Desenvolvimento Humano ( IDH ) e com quase 10 % da população analfabeta, o Brasil poderia usar os 20 bilhões de reais a ser investido na Copa para solucionar demandas mais urgentes, em áreas como educação e saúde pública. Com esse montante, seria possível, por exemplo, construir mais de 400 hospitais-escolas.

Pelo menos 600 mil estrangeiros devem visitar o país, número que pode ser ainda maior considerando as facilidades que nossos vizinhos sul-americanos têm para entrar aqui. Além disso, o fluxo de turismo nacional deve mover mais de 3 milhões de brasileiros. Quanto mais turistas, mais dinheiro entra para os cofres públicos na forma de impostos.

Ainda há dúvidas sobre a capacidade do país de oferecer segurança aos turistas, aos atletas e à própria população. Os embates entre policiais e traficantes no Rio em Novembro tiveram ampla repercussão negativa. Caso o país não seja capaz de garantir tempos de paz nas cidades-sedes, poderá queimar sua imagem no exterior e até perder o direito de realizar a Olimpíada de 2016.

A previsão é que mais de 700 mil postos de trabalho sejam gerados, cerca de 350 mil empregos permanentes. Já há programas de capacitação de profissionais para atuar em várias áreas, da construção civil à hotelaria. O aquecimento da economia deverá impactar nosso Produto Interno Bruto ( PIB ) até 2014. No ano da Copa, o evento deve gerar cerca de 2 % das receitas nacionais.

O enorme fluxo turístico poderá provocar um caos aéreo. Segundo a Infraero, das obras em 13 aeroportos considerados estratégicos para a Copa, seis não estarão concluídas até lá. Embora a estatal garanta que será possível atender à demanda, um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas ( Fipe ), da USP, diz que voos atrasados ou cancelados poderão chegar a 43,9 % em 2013.

3 comentários:

  1. Muito bon texto, prós e contras muito bem colocados com um fácil entendimento no contéudo a ser proposto. Parbéns, voltarei ao blog mais vezes. Obrigada pelo post.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texo. Muito bem feita a colocação dos pros e contras. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Me ajudou muito no meu trabalho da escola! :D
    Abraços! :)

    ResponderExcluir